GlimpseGottaLove

Num mundo em que tudo parece tão assustador, em que as coisas andam de cabeça para baixo, em que já nada é como antes – e isso até pode não ser mau mas requer coragem e energia para interiorizar e aceitar – num mundo assim, amar é preciso.

Escreve-se muito, fala-se muito e, tão raras vezes o fazemos com amor. Como se o quiséssemos poupar só para os mais chegados, distribuindo pelos outros apenas dosagens homeopáticas. E o que nos esquecemos constantemente, neste mundo em que todos buscam o seu “furo” de pertinência nas redes sociais, é que o amor é viral. Se o usarmos destemidamente, ele espalha-se sozinho.

É contagioso como, infelizmente, o são o ódio ou a indiferença. Semeia-se e colhe-se. Só temos que escolher o que queremos deitar à terra para ver crescer à nossa volta, se rosas, se espinhos.

Nós escolhemos rosas. E Margaridas, gerberas, malmequeres e girassóis. Já os lírios não são tanto o nosso estilo mas se houver quem goste que os traga, desde que por bem.

Não. Não queremos viver numa casa na pradaria, nem no mundo encantado das princesas onde tudo é perfeito e bonito. Pelo contrário, preferimos o do Principezinho com o seu olhar original sobre tudo e sobre todos, capaz de ver o que realmente importa e amar o que é imperfeito. Queremos viver no mundo encantado da criatividade e do esforço reconhecido. Onde há histórias de amor bem contadas, sem lamechices, (a não ser que sejam lamechas e nesse caso não faz mal. Como os lírios).

Queremos viver num mundo livre onde se pode fazer a apologia do elogio e onde nunca se vai dizer mal gratuitamente, ou fazer por mal. Porque…amar é preciso.

Ah! E queremos visitas nesse mundo. Muitas visitas.

 

 

Share
Tags: No tags

Comments are closed.